sábado, 14 de janeiro de 2017

O RELATÓRIO DA UEFA

Considerandos:

- Como se trata de 2 coisas que gosto, INFORMAÇÃO DE GESTÃO e DESPORTO;

- Como gosto de discutir com base nos dados todos;

- Como quero contribuir para a diminuição do clima de conflitualidade entre adeptos;

- Como detesto demagogia;

- Como acho que a Comunicação Social não fez o seu trabalho e optou por atirar gasolina para a fogueira numa clara estratégia de gerar conflitualidade para vender jornais.

Decidi consultar os Relatórios e Contas das Contas Consolidadas de 2014/2015 dos 3 grandes, que podem ser consultados aqui:

Benfica, Sporting e Porto.

Depois consultei o Relatório da UEFA, que podem consultar aqui, para perceber como calculavam os números do quadro abaixo:

E percebi que quem estiver mesmo preocupado e quiser fazer uma análise dos números tem quem forçosamente ler algumas definições:





Todas elas estão nas folhas 125 e 126, curiosamente as mesmas onde podemos encontrar a tal tabela.




A 1ª coisa a fazer foi calcular os números do Benfica:



Em seguida, para poder comprar o que é comparável, ou seja, o Benfica no ambiente onde desenvolve a sua actividade principal, na Liga Portuguesa, fui calcular os mesmos números para Sporting e Porto.





Se tivermos em conta o que diz a UEFA, nomeadamente que a análise não deve ser efetuada no contexto e não isoladamente, especificando que talvez mais do que o montante em si, são os outros indicadores os mais importantes, pois:

NET DEBT TO REVENUE
É o indicador de risco para o FairP Play Financeiro

DEBT TO LT ASSETS
Que podemos traduzir como o indicador do risco de investimento

Na prática o problema não é tanto o montante da dívida, mas a capacidade de gerar riqueza e ter ativos valorizáveis para garantir o seu pagamento.

Nos meus quadros já podem ver alguns números, que contudo devem sempre ser analisados com base nas informações constantes nas notas explicativas das contas, também disponíveis nos Relatórios e Contas.

Agora é compará-los entre os 3 e tirar as vossas próprias conclusões...